Perguntas Frequentes (FAQ)

Fundo Aeroespacial

Quais características o Fundo busca nas empresas?

Fundo busca investir em empresas que possuem as seguintes características:

Onde o Fundo focará seus investimentos?

O Fundo focará seus investimentos em empresas INOVADORAS e de TECNOLOGIA, que tenham potencial de escalabilidade e dualidade no mercado, sendo no mínimo 15% do patrimônio investido em empresas do Estado de São Paulo.

Quais itens são avaliados nas empresas?

Dentre os itens que devem ser analisado, destaca-se:

  1. Domínio da tecnologia e do processo de produção;
  2. Proteção da tecnologia e sua aplicabilidade;
  3. Determinação do potencial de mercado para os produtos e serviços da empresa;
  4. Competitividade de forma sustentável no longo prazo;
  5. Capacidade da equipe para entregar resultados prometidos;
  6. Capacidade de planejamento e execução da equipe;
  7. Preços e prazos competitivos no mercado;
  8. Demanda clara e de longo prazo;
  9. Conhecimento do mercado;
  10. Integridade ética e moral dos empreendedores;
  11. Riscos de capacidade para crescimento/expansão da produção;
  12. Qualidade, preços e condições de venda compatível com o mercado/concorrentes;
  13. Modelo do negócio sustentável;
  14. Histórico da equipe;
  15. Visão de negócio, conhecimento e habilidade e capacidade de gestão da equipe;
  16. Tamanho e perfil da dívida, e capacidade da empresa de pagar essa dívida;
  17. Potenciais passivos ocultos;
  18. Análise histórica de performance econômico financeiro da empresa ao longo dos últimos anos;
  19. Qualidade e confiabilidade das informações contábeis e financeiras e da gestão financeira da empresa.

Quais análises são conduzidas pelo gestor do Fundo?

O Fundo procederá com as seguintes principais análises para avaliação das empresas alvo:

  • Mercado de atuação da empresa e principais players do mercado;
  • Análise SWOT (pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças) entre a empresa e os concorrentes;
  • Análise de alinhamento com a estratégia de investimento e portfólio do Fundo;
  • Estratégia de saída alinhada com os acionistas controladores;
  • Avaliação econômico-financeira da empresa alvo (valuation), utilizando seguintes métodos de avaliação das empresas:
    • o Múltiplos utilizados no mercado para empresas similares, comparando-o com um grupo de empresas selecionadas, que tenham características semelhantes, bem como estrutura de capital compatível com a empresa alvo;
    • o DCF – Valor Presente de Fluxo de Caixa Descontado, que define o valor da empresa em função de sua capacidade de geração de resultados futuros, calculado a valor presente, a uma taxa de desconto que reflita os riscos inerentes aos fluxos estimados. Neste valor presente é adicionado um valor residual, que reflete a perpetuidade do fluxo do negócio.

 

Os resultados são também analisados em função dos valores intangíveis qualitativos e não quantificáveis da empresa (propriedade intelectual, qualidade da gestão da empresa e de seus empreendedores e equipe).

As avaliações e definição da faixa de preços estarão sujeitos a ajustes após a Due Diligence da empresa (financeiro, fiscal, trabalhista, legais, ambientais, societários e outros).

Como funciona o Comitê de investimento do Fundo?

O Comitê de Investimentos será composto por até 4 membros indicados pelos cotistas do Fundo e um da GESTORA.

Cabe ao comitê de investimento as seguintes atribuições:

  1. Determinar as diretrizes de investimento e de desinvestimento do Fundo, inclusive quanto à alienação de ativos que componham o seu portfólio de investimentos;
  2. Deliberar sobre os investimentos em empresas indicadas pelo Gestor para integrarem o portfólio de investimentos do Fundo;
  3. Acompanhar a “performance” do Fundo através dos relatórios do Gestor acerca do desempenho das Companhias Investidas;
  4. Decidir sobre todo e qualquer investimento, desinvestimento ou alteração na estrutura de investimentos, incluindo suas condições gerais e preços;
  5. Decidir pela amortização de cotas;
  6. Propor a prorrogação do prazo de duração do Fundo;
  7. Deliberar sobre o relatório de prestação de contas.

Além do comitê de investimento o fundo possuirá um comitê técnico. Como este funciona?

O Fundo contará com um Comitê Técnico formado por 3 membros indicados por:

1 – Membro da Gestora

1 – Membro da Embraer

1 – Membro dos cotistas

Este Comitê Técnico possuirá atribuição para fornecer subsídios à Gestora nas análises de investimento, desinvestimento ou mesmo no acompanhamento das companhias investidas.

Somente as propostas de investimento que contarem com a manifestação favorável da unanimidade dos representantes do Comitê Técnico (condição de admissibilidade) serão levadas à deliberação do Comitê de Investimentos.

Tal condição de admissibilidade a ser realizada pelo Comitê Técnico somente precederá as análises das propostas de investimento pelo Comitê de Investimentos e não se estenderá às propostas de desinvestimento, ocasião em que o Comitê Técnico possuirá apenas caráter consultivo.

A manifestação do Comitê Técnico, no exercício de sua função de admissibilidade, será focada nos aspectos tecnológicos e setoriais da proposta de investimento.

Qual é o papel da gestora PORTCAPITAL no Fundo?

Dentre as responsabilidades da Gestora, destaca-se:

  1. Conduzir todo o processo de investimento (originação, avaliação, negociação, Due Diligence e aquisição, criação de valor e desinvestimento) detalhado no capítulo a seguir;
  2. Identificar, analisar e propor alternativas de investimento ao Comitê Técnico;
  3. Identificar, analisar, negociar, estruturar e documentar todas as alternativas de investimentos e desinvestimentos propostas ao Comitê de Investimentos;
  4. Participar do aconselhamento, direcionamento, apoio e monitoramento das companhias investidas em suas estratégias e oportunidades de criação de valor, participando do Conselho de Administração/Fiscal e no contato permanente com os empreendedores;
  5. Implementar a Governança do Fundo e ser responsável pelo relacionamento com os investidores;
  6. Propor operações de investimentos e desinvestimentos do Fundo junto ao Comitê de Investimentos e ao Comitê Técnico;
  7. Contratar Due Diligence para analisar aspectos societários, de propriedade intelectual, auditoria contábil, fiscal e trabalhista das empresas identificando os riscos e contingências;
  8. Cumprir com as obrigações de Compliance do Fundo incluindo a correta documentação de todas as etapas do processo de investimento e sua divulgação aos cotistas;
  9. Respeitar a Política de Risco do Fundo .